Passarinhando nas matas do Rio Camaquã em Encruzilhada do Sul

Redes Sociais

 

Destino: Rio Camaquã – Encruzilhada do Sul, divisa com Canguçu.

Por que vale a pena visitar: Encruzilhada do Sul é um município com grande área territorial e, por consequência, apresenta distintas formações vegetais. Nas margens do rio Camaquã ainda é possível encontrar áreas florestadas que despertam os instintos de exploração dos observadores de aves. Existem dois integrantes do COA Vales que são de Encruzilhada, o Rodrigo e o João, que vêm fazendo um papel de destaque no encontro de espécies por aquelas bandas. Hoje, o município apresenta 252 espécies registradas no site wikiaves.

Figura 1: Imagem de satélite da área visitada. Fonte: Google Earth.

angico junto ao rio camaquã

Figura 2: Observadores reunidos ao lado de um belo exemplar de Pirapiptadenia rigida (angico). Fotografia de Samuel Oliveira.

Destaques: as espécies de aves que merecem destaque nessa saída são Amazona pretrei (papagaio-charão) que observamos um bando se deslocando e Sclerurus scansor (vira-folha) que confundiu o grupo com uma vocalização bem incomum da espécie link, só conseguimos confirmar a espécie após observarmos o próprio indivíduo.

vira-folha no rio camaquã

Figura 3: Indivíduo de Sclerurus scansor (vira folha). Fotografia de Cleberton Bianchini

maçarico-real no rio camaquã

Figura 4: Theristicus caerulescens (maçarico-real ou curicaca real). Fotografia de Astor Gabriel.

 

 

Nível de dificuldade: a trilha que percorremos foi de aproximadamente 1,5 km dentro da floresta, com caminho de nível fácil. A mata possui um sub-bosque bem denso em alguns pontos, que pode atrapalhar um pouco a caminhada, mas é propício para muitas espécies de aves florestais. Outro local que caminhamos foi um banco de cascalho na margem do Camaquã que se torna aparente com o nível baixo do rio. Nesse ponto a caminhada não apresenta nenhuma dificuldade.

rio camaquã

Figura 7: Vista da cascalheira nas margens do rio Camaquã.

 

Infraestrutura do local: a área que visitamos é de propriedade privada e conseguimos liberação para entrar através do João, que conhece o dono e já visitou a área muitas vezes. Caso exista interesse em realizar essa trilha é possível entrar em contato com o proprietário e pedir liberação. Existe a possibilidade de acampamento e a utilização de uma cabana bem simples, caso não esteja ocupada.

rio camaquã

Figura 5: Veniliornis spilogaster (picapauzinho-verde-carijó). Fotografia de Astor Gabriel.

 

Oportunidades fotográficas: percorremos ambientes muito distintos nessa saída, até chegar à margem do rio existe a possibilidade de fotografar espécies campestres e de áreas abertas, além de passarmos por algumas áreas de banhado. Na trilha que percorremos escutamos várias espécies florestais, mas nesse dia não tivemos sorte em conseguir muitos cliques.

peitica

Figura 6: Empidonomus varius (peitica). Fotografia de Astor Gabriel.

Como chegar: saindo de Encruzilhada do Sul pela BR 471 sentido sul, entrar a esquerda cerca de 1 km antes de cruzar a ponte do rio Camaquã, na localidade de Vau dos Prestes. Seguir em uma estrada de chão aproximadamente 11 km, entrar à direita e andar por mais 1 km. Nesse ponto tem mais uma curva para direita e a entrada da fazenda.

 

Quando ir: para ter a possibilidade de observar mais espécies de aves recomenda-se visitar a área no período de primavera e verão. No entanto, nos finais de semana mais quentes do verão a área é frequentada para pescaria e banho no rio, o que pode atrapalhar a observação de aves.

 

Lista de espécies: a lista de espécies registradas até o momento pode ser conferida aqui e maiores informações podem ser obtidas no relato da última saída de observação de aves, realizado pelo COA Vales.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fatbirder's Top 1000 Birding Websites